Páginas

2leep.com

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Seriados de A a Z, parte quatro

ORIGINALMENTE PUBLICADO EM 28.11.2011.

COMBATE ou Combat! era uma série de TV centrada no segundo pelotão da Companhia King, comandada pelo novato Tenente Hanley (Rick Jason) e pelo Sargento Saunders (Vic Morrow). No inicio da primeira temporada o Sargento Saunders ainda aparecia apenas obedecendo às ordens do Tenente, como mais um membro da equipe, mas com o passar do tempo e diante das incertezas do Tenente Hanley, ele passa a fazer com que os acontecimentos acabem girando em torno dele e assumindo praticamente quase que todas as responsabilidades.



CANNON era uma série de TV norte-americana estrelado por William Conrad, que interpretava o detetive Frank Cannon e representava uma real mudança dos tradicionais investigadores particulares suaves e de rostos bonitos daquela época. Ele era gordo, tinha por volta de 60 anos, meio careca, com as feições de sujeito mal encarado, cobrava altas taxas aos seus clientes por seus serviços, mas também trabalhava, muitas vezes, sem custos, para as pessoas menos favorecidas. O espetáculo foi apresentado originalmente nos Estados Unidos, pela rede CBS, entre 1971 a 1976, num total de 125 episódios.


CHAPARRAL (The High Chaparral) foi uma série de TV do gênero western dos anos 60 criado por David Dortort, que também desenvolveu uma outra série muito famosa chamada Bonanza. O espetáculo foi presentado originalmente nos Estados Unidos, pela rede NBC, entre 10 de setembro de 1967 a 12 de março de 1971, num total de 98 episódios, de aproximadamente 60 minutos cada. No Brasil foi exibido nessa mesma época, simplesmente como Chaparral e mais recentemente foi reexibida através do canal a cabo TCM, entre 2007 a 2008. O espetáculo era centrado em John Cannon, um ex-oficial da Guerra de Sucessão norte-americana, apelidado de “Big John”, que após o término da guerra resolve se fixar nas terras do Arizona, nas proximidades de Tucson, onde atualmente fica o deserto de Sonora. John denomina o rancho de “The High Chaparral” e passa a morar juntamente com sua mulher Annalee e seu filho Billy, numa época em que aquela região era considerada muito perigosa, com índios reclamando suas terras, além de bandidos e renegados do exército que circulavam por aqueles lados.

CHEYENNE foi a primeira série de sucesso produzido pelo estúdio Warner Brothers. Originalmente Cheyenne era uma das três séries que circulavam pelo estúdio da Warner Brothers Presents. Cheyenne surgiu na tentativa de fugir ao esquema de programas já conhecidos e ajudou muito na ascensão da ABC durante a metade do anos 50. A ABC tinha menos afiliados que os seus concorrentes, a CBS e NBC, porém com a apresentação da série Cheyenne chegou rapidamente ao topo dos dez melhores programas e já antes de 1957, havia se tornado o número um neste segmento de mercado.De 1957 a 1962, ele foi apresentado alternadamente com as séries Sugarfoot (1957-1961) e com Bronco (1958-1962). Em suas 8 temporadas de Cheyenne foram produzidas 107 episódios, uma média de treze episódios por temporada. 

CIBORG , O HOMEM DE 6 MILHÕES DE DOLLARES  (The Six Million Dollar Man, também conhecido no Brasil como Cyborg: O Homem de Seis Milhões de Dólares) foi uma série de televisão norte-americana baseada no livro “Cyborg” de Martin Caidin, que foi escrita em 1972. Esta obra acabou gerando três telefilmes: “Cyborg: The Six Million Dollar Man”, exibido em 7 de março de 1973; “Wine, Women and War”, em 20 de outubro de 1973 e “The Solid Gold Kidnapping” apresentado em 17 de novembro de 1973.  A série é centrada num ex-astronauta chamado Steve Austin que fica gravemente ferido num acidente, e levado para o hospital onde passa a submeter-se a uma operação de “reconstrução” que custa em torno de seis milhões de dólares. Seu braço direito, as duas pernas e um de seus olhos são substituídos por implantes “biônicos”, que acabam proporcionando uma supervelocidade, uma força descomunal no braço direito e um olho com recursos de zoom e infravermelho. 

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Seriados de A a Z, parte tres

ORIGINALMENTE PUBLICADO EM 21.11.2011.

Batman (também conhecido como Batman e Robin ou Batman de Adam West) foi um seriado televisivo exibido entre 1966 e 1968, tendo ao todo 60 estórias , sendo cada uma dividida em 2 partes , totalizando 120 episódios . O programa é baseado no personagem homônimo de banda desenhada e narra a luta contra o crime do herói (cujo nome verdadeiro é Bruce Wayne), sempre acompanhado pelo parceiro Robin (alter-ego: Dick Grayson) e auxiliado pelo mordomo Alfred, pelo comissário de polícia James Gordon e pelo chefe de polícia O'Hara.De forte tom humorístico, é considerado uma "sátira consentida", pelos aspectos deletérios ao "mito" do personagem. O primeiro deles, segundo a crítica, estava no protagonista: Batman/Bruce Wayne era vivido pelo ator Adam West, visivelmente fora de forma para o papel, em uma fantasia que deixava evidente tal falta de forma. O papel de Robin/Dick Grayson era de Burt Ward, cuja principal marca era iniciar boa parte de suas frases com a expressão "Santo (ou Santa) alguma coisa!" Estas frases foram reaproveitadas nas duas séries animadas produzidas pela norte-americana Filmation na década de 70, e no desenho "Superamigos", da Hanna-Barbera. As más línguas no mundo inteiro onde a série foi exibida também teorizavam a existência de um envolvimento homossexual entre os dois personagens.



A série Baretta na verdade começou com uma outra série de TV chamada Toma, apresentado pela ABC entre 1973 e 1974, estrelado por Tony Musante e Susan Strasberg e era baseado numa história real publicada pela Newark, Nova Jersey, sobre o detetive policial chamado David Toma. David Toma tinha um grande número de apreensões surpreendentes em sua época como policial, particularmente em negociatas de drogas, além disso era conhecido como mestre do disfarce e trabalhava encoberto enquanto fazia suas investigações. No seriado Toma fazia um aparecimento disfarçado nos episódios, como um personagem secundário, tipo garçom, vendedor, etc. O chefe dele era o Inspetor Spooner e era interpretado pelo ator Simon Oakland. Depois de aposentar-se David Toma, começou a dar palestras por toda a América para estudantes, sobre os perigos das drogas. Tony Musante, o ator principal da série, desistiu da série após a primeira temporada. A série Baretta foi produzido por Roy Huggins-Public Arts Productions e Universal TV, e foi apresentado pela rede ABC norte-americana de 17 de janeiro de 1975 a 18 de maio de 1978 , num total de 82 episódios coloridos de 60 minutos cada. A canção tema "Keep Your Eye on the Sparrow" foi escrita por Dave Crusin e interpretado por Sammy Davids Jr., onde chegou a fazer um grande sucesso com essa música tema. Tony Baretta (Robert Blake) era um policial nada convencional e levava um estilo de vida um tanto excêntrica. Ele morava no precário Edward Hotel, no apartamento 2C, juntamente com um cão e uma cacatua chamada Fred. Normalmente era visto somente usando uma camiseta, calça jeans e um boné, que era a sua marca registrada, puxada para baixo da sua testa. Filho de pobres imigrantes italianos, Tony conhecia a cidade como ninguém. Era um mestre em disfarce e usava dessa habilidade para infiltrar-se e desvendar os crimes.


Ben o Urso Amigo era uma série de aventuras norte-americana feita pelo Produtor Executivo Ivan Tors, Produzido por George Sherman e Andy White, filmado basicamente em Palm Beach Gardens, na Flórida, USA, pela Ivan Tors Studios e pela Fairchild Tropical Garden, em Miami. O espetáculo foi apresentado originalmente pela rede CBS, de 10 de setembro de 1967 a 31 de agosto de 1969, num total de 56 episódios, de aproximadamente 30 minutos cada. No Brasil foi exibido pela TV Record na década de 70. A série da televisão era um spin-off de filme chamado Gentle Giant, filmada em 1967 pela Ivan Tors Films Inc. em associação com a Paramount Pictures, produzido por Stanley Colbert, escrito por Edward J. Lakso e Andy White, tendo a sua frente o produtor executivo Ivan Tors, baseado na obra "Gentle Ben" de Walter Morey e ilustrado por John Schoenherr, que falava sobre um menino chamado Mark que diariamente após a escola vai para um abrigo para ver um urso marrom chamado de Ben. Quando o garoto chega em casa, sua mãe repara que ele está todo coberto de pele do seu urso querido e logo descobre que ele estava pendurado nele.No filme o menino ajuda a criar o filho de urso logo após sua mãe ser morta por um caçador bêbado. Pouco tempo depois, o filme acabou sendo levado para a televisão, inclusive protagonizadas por alguns dos principais intépretes que atuaram no filme e em seus respectivos papéis, como foi o caso de Dennis Weaver e o garoto Clint Howard. Outros personagens foram substituídos por outros artistas.O nome do urso era Ben (seu nome verdadeiro era Bruno) e era um imenso urso preto de cerca de mais de dois metros de altura, pesando cerca de 650 libras, que nasceu no parque e criado desde pequeno pelo pequeno Mark a quem ele obedecia cegamente. As aventuras geralmente aconteciam com bandidos e caçadores clandestinos que vinham ao parque ou nela se refugiavam, para escapar da polícia, e acabavam se envolvendo de alguma forma com o garoto e a sua família. No final sempre aparecia Ben e salvava todos da confusão.


Besouro Verde ou The Green Hornet era uma série de televisão exibida entre 1966 a 1967, originalmente pela rede ABC nos Estados Unidos, estrelado por Van Williams como Green Hornet / Brit Reid e contando também com a participação do ator Bruce Lee, interpretando o companheiro Kato.
A série televisiva acompanhava as aventuras de um playbou e magnata da mídia chamado Brit Reid, que atuava também como o vigilante mascarado chamado Green Hornet, ou Besouro Verde no Brasil, com a ajuda de um mestre da arte marcial chamado Kato, que rodavam pela cidade com um carro negro intitulado Beleza Negra, recheada de recursos tecnológicos avançados e armas.


The Big Valley era o nome de uma série de TV do gênero western criado por A.I. Bezerrides e Louis F. Edelman, produzido por Levy-Gardner-Laven e Four Star Television, com músicas temas compostas por George Duning. A série foi apresentada originalmente nos Estados Unidos, pela rede ABC, entre 15 de setembro de 1965 a 19 de maio de 1969, num total de 112 episódios, de aproximadamente 60 minutos, em 4 temporadas. O espetáculo era centrado por volta de 1878, na fazenda Hill Ranch, que ficava localizada em California´s San Joaquim Valley, próximo a cidade de Stockton e narrava os acontecimentos vividos pela família Barkley, na expansão de suas terras, defrontando com problemas relacionados a gado, minas, disputas de terras, ladrões, doenças, entre outros.Após a morte de seu marido, Victoria Barkley assume o comando da fazenda com suas mãos firmes e se torna a poderosa matriarca da família. Através de seu esforço e perseverança torna-se uma rica fazendeira da Califórnia, com a ajuda de seus filhos.


sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A FOTOGRAFIA DE RUI PALHA

Recebi um "toque" de uma amiga muito próxima que disse que muitas vezes torno-me invasivo publicando várias postagens em páginas e comunidades que participo.
Aceito a crítica construtiva e esta será a última vez que invadirei o "espaço alheio" para postar publicações. A partir de hoje manifestarei-me em minha perfil pessoal
 na comunidade do Regare (https://www.facebook.com/groups/421378874659448/
e no whatsapp do Aprova Já, e despeço-me pedindo desculpas aos que se sentiram prejudicados com minhas "invasões".
O vídeo de hoje apresenta a fotografia do português Rui Palha, com trilha sonora de músicos locais.
Gostaram?
No http://urbanascidadespoa.blogspot.com.br/ vocês encontram mais de 1000 postagens sobre 
arquitetura, 
artes plásticas,
cinema, 
fotografia, 
literatura, 
mundo, 
música, 
poesia, 
Porto Alegre, 
propaganda e 
Urbanismo, 
além dos meus editoriais e vídeos como esse.
Venha pesquisar os temas de teu interesse.

Paulo Bettanin.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Seriados de A a Z, parte dois

POSTAGEM ORIGINALMENTE PUBLICADA EM 14.11.2011.

AVENTURA SUBMARINA (MIKE NELSON) No final dos anos 50, o ex astro do atletismo Lloyd Bridges, que por ser do Partido Comunista não conseguia bons papéis, foi convidado a trabalhar na série de Tv Aventura Submarina (Sea Hunt) no papel do mergulhador Mike Nelson. A série de ação, que estreou no dia 4 de janeiro de 1958, foi produzida por Ivan Tors, um defensor da natureza, algo difícil de encontrar na década de 1950. O programa ficou no ar por quatro temporadas e 155 episódios. Inicialmente haviam planejado produzir Aventura Submarina a cores, e até dois episódios pilotos foram gravados com esse formato. A qualidade final da imagem, devido ao equipamento usado na época, ficou abaixo do esperado, pois ele distorcia as cores nas tomadas submarinas. O programa tornou-se um surpreendente sucesso em todo o mundo e transformou o ator Lloyd Bridges em celebridade. Depois de começar a ser produzida modestamente em tanques construídos em Hollywood, Aventura Submarina passou a ser filmada na Flórida, Bahamas e Ilhas Catalina dando mais credibilidade e beleza aos seus episódios. No começo os diretores utilizavam dublês para as cenas submarinas, mas Lloyd Bridges aprendeu a mergulhar e começou a atuar ele mesmo nas cenas no fundo do mar. Aventura Submarina era filmado em um ambiente de trabalho em família, e os filhos de Bridge, Jeff e Beau, apareciam nos episódios do seriado. No seriado, o ex mergulhador da força naval americana Mike Nelson era um aventureiro que enfrentava os mais variados perigos do mar. A bordo de seu barco Argonauta, o calmo e corajoso herói se deparava com saqueadores, espiões, contrabandistas e pessoas mal-intencionadas. Usando equipamentos bem esquisitos, o herói combatia a vilania e passava para o seu público as belezas do mundo submarino.

The Wonder Years (Anos Incríveis, no Brasil) foi uma série de televisão americana criada por Carol Black e Neal Marlens. Durou seis temporadas na rede americana ABC, de 1988 a 1993. No Brasil, o programa foi exibido pela primeira vez na TV Cultura em meados da década de 1990 obtendo enorme sucesso, mais tarde TV Bandeirantes, Multishow e Rede 21 também exibiram a série até voltar à TV Cultura novamente. Wonder Years apresentou as questões sociais e os eventos históricos do final dos anos 60 e início dos anos 70, recheado de músicas da época através dos olhos do protagonista Kevin Arnold, que também vive os assuntos da adolescência (principalmente com seu grande amigo Paul e sua paquera, Winnie Cooper), diversas situações com seus familiares e outros. Enquanto se passam as histórias, os acontecimentos são narrados por um Kevin mais velho e experiente, que descreve o que acontece e conta o que aprendeu de suas experiências. É isso que torna a série especial e diferente das outras. A música de abertura é "With a Little Help from My Friends", dos Beatles, gravada aqui por Joe Cocker.

ASTRONAUTAS era uma série de TV norte-americana, mistura entre ficção científica e comédia, criada e produzida por Sherwood Schwartz, responsável por outras séries famosas como The Brady Bunch e Gilligan´s Island. No Brasil esta série foi apresentada pela televisão por assinatura o canal MGM por volta de 2000, com o título de Os Astronautas. A série foi apresentada originalmente nos Estados Unidos pela rede CBS, entre 11 de setembro de 1966 a 27 de agosto de 1967, num total de 26 episódios, com 30 minutos de duração cada e durou somente uma temporada. Inicialmente o espetáculo mostrava os astronautas tenente Hector (Jack Mullaney) e o capitão Mac (Frank Aletter), da nave espacial Escorpião, rompendo uma barreira do tempo e voltando aos tempos pré-históricos. Eles pousam perto de uma tribo de homens da caverna pouco amigáveis, que falavam um inglês truncado, mas são ajudados por uma família composta por resmungão chamado Gronk (Joe E. Ross), sua esposa Shad (Imogene Coca), pelo filho Breer (Pat Cardi) e pela filha Mlor, interpretada por Robyn Grace, que teve seu nome creditado como Mary Graham Grace, até a metade da temporada. Infelizmente, quando a nave pousa, acaba quebrando algumas partes vitais, fazendo com que o seu conserto demore pelos alguns meses. Enquanto isso, Mac e Hector resolvem construir uma casa entre as pessoas da tribo e também usam os conhecimentos do século 20 para melhorar e facilitar a vida dessas pessoas, como por exemplo, uma porta para a caverna de Gronk, o que permitia a Gronk controlar o dia e a noite, pois de acordo com ele, o sol era considerado “uma grande bola de fogo” e com a porta permitia a ele controlar o sol.

Banana Splits foi um grupo de bonecos que protagonizaram um programa de TV produzido pela Hanna-Barbera. Exibido pelo canal estadunidense NBC no período de 1968-1970, o programa durava 1 hora e alternava desenhos animados, seriado com atores, piadas e números musicais. Teve 31 episódios. A primeira temporada teve como diretor Richard Donner. Como grupo, Os Banana Splits são um quarteto musical amalucado, que toca música pop e rock, formado pelos seguintes bonecos (atores com fantasias): O cão beagle Fleegle, o líder do grupo; O gorila Bingo; O leão Drooper; O elefante Snorky, o baterista mudo. Dentre os desenhos animados apresentados pelos bonecos estão Os Cavaleiros da Arábia, os Três Mosqueteiros e as Micro-aventuras. A série com os atores se chama "A ilha do perigo", e contava com o então jovem Jean-Michel Vincent.



Bat Masterson era uma série de TV do gênero western, baseado num personagem da vida real, produzida pela ZIV Television Programs Inc., distribuído pela National Broadcasting Company (NBC), produzido por Frank Pittman, Andy White, Frederick W.Ziv, entre outros e a edição de som ficou ao cargo de Jim Bullock. Foi apresentado pela rede NBC de 8 de outubro de 1958 a 1 de junho de 1961, num total de 108 episódios em branco e preto, divididos em 3 temporadas.A série tinha somente Gene Barry como personagens fixo e regular, além de Bill Baldwin que fazia a narração do espetáculo. Os outros personagens consistiam em artistas convidados que no máximo permaneciam alguns capítulos. Gene Barry ficou muito famoso por interpretar o personagem Bat Masterson. Os episódios relatavam as aventuras de Bat pelas cidades do velho oeste, sempre acompanhado de belas mulheres e defendendo os oprimidos.Bat Masterson era elegante, cavalheiro e sempre se vestia impecavelmente de casaca, sem esquecer, é claro, seu chapéu e a bengala que servia para bater nos adversários que trapaceavam no jogo, exploravam os fracos ou ameaçavam as donzelas.
No próximno episódio, BATMAN & ROBIN (1966), BARETTA, BEN,O URSO AMIGO, BESOURO VERDE ( BRUCE LEE) e BIG WALEY.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Seriados de A a Z - parte um

POSTAGEM ORIGINALMENTE PUBLICADA EM 07.11.2011.


Abbott e Costello foi uma dupla cômica estadunidense,celebrizada internacionalmente pelas performances humorísticas no cinema e televisão. Bud Abbott era de uma família de artistas circenses e de vaudeville, enquanto Lou Costello já havia trabalhado como dublê em filmes como os de Laurel & Hardy (1927) e outros nos anos 1920. A gag da dupla mais conhecida era a brincadeira com a frase "Who's on First?, utilizada mais recentemente no filme Rain Man como um mecanismo de defesa do personagem autista de Dustin Hoffman. Costello é quem dizia as piadas, enquanto Abbott as preparava (ele era o que é conhecido no meio artístico brasileiro como o ator-escada). Apesar disso, quando foram lançados no cinema como uma dupla, o Estúdio que os contratou preferiu colocar o nome de Abbott em primeiro lugar, Abbott e Costello, o que desagradou seu parceiro. Bud Abbott nasceu em Asbury Park, New Jersey em 21 de outubro de 1895. E faleceu em 24 de abril de 1974, em Woodland Hills, California. Lou Costello nasceu em Paterson, New Jersey, em 6 de março de 1906 e morreu em 3 de março de 1959, em East Los Angeles, California.



The Man from U.N.C.L.E. (br.: "O Agente da UNCLE") foi uma série de espionagem americana,criada pela Metro-Goldwyn-Mayer para ser exibida na televisão. A série foi ao ar de 1964 até 1968 na rede de televisão NBC, com 105 episódios de 60 minutos cada, totalizando quatro temporadas (a primeira foi em preto &branco). O autor de James Bond, Ian Fleming contribuiu para a criação do show. Em 1966 foi lançada a série derivada The Girl from U.N.C.L.E..
A série é sobre as aventuras de espiões que servem na agência internacional UNCLE - United NetworkCommand for Law and Enforcement. Como protagonistas aparece a dupla formada pelos agentes Illya Kuryakin (russo) e Napoleon Solo (americano).Leo G. Carrollera o britânico Alexander Waverly, o "numero um" da "seção um", ou seja, o chefe da organização. Lisa Rogers (Barbara Moore) aderiu ao elenco na quarta temporada.Os arquinimigos da U.N.C.L.E. são os agentes da vasta organização chamada de THRUSH (WASP no filme piloto). Na série não há o significado da sigla, que só foi definida a partir das novelas de David McDaniel: seria Technological Hierarchy for the Removal of Undesirables and the Subjugation of Humanity. O fundador é o coronel Sebastian Moran.
Uma das características dos episódios era a de envolver pessoas comuns nas ações dos espiões, como forma de fazer com que a audiência se identificasse com as histórias.

Além da Imaginação no Brasil e Quinta Dimensão em Portugal, foi uma série de televisão americana criada por Rod Serling e dirigida por Stuart Rosenberg, apresentando histórias de ficção científica, suspense, fantasia e terror. Mediante o sucesso popular da série, ao longo de sua história foram realizadas diversas temporadas e continuações. Além da imaginação (1959), de 1959, da CBS, possui 5 temporadas e 156 episódios, enquanto que na década de 1980 foi lançada, ainda pela CBS O Novo Além da imaginação, com 3 temporadas. Essa primeira continuação foi precedida por um filme, No Limite da Realidade que causou polêmica pela morte de um dos atores no set de filmagem. Já no século XXI, houve a produção, pela UPN, de Além da imaginação (2002) com apenas uma temporada, apresentada por Forest Whitaker. A grande maioria dos episódios abordava histórias com elementos sobrenaturais, ocorrências “Além da Imaginação” e inexplicáveis, tais como viagens no tempo, mundos paralelos,viagens espaciais, alienígenas, fantasmas, vampiros e outras situações misteriosas, ambientadas em um local denominado "Zona do Crepúsculo"ou "Twilight Zone", que originalmente dava título à série.


Get Smart (Olho Vivo em Portugal e Agente 86 no Brasil) é o nome de um conhecido seriado de televisão dos Estados Unidos da América. Consagrou-se como um dos grandes sucessos da televisão mundial na década de 1960, gerando continuações e vencendo muitos prêmios. O episódio-piloto foi rodado em preto e branco. A história começa exatamente como os demais episódios, com o Agente 86 indo para o escritório secreto,atravessando várias portas. Ali também aparecem o sapato-fone e o cone-do-silêncio. Na missão contra o vilão Senhor Big (um anão), ele recebe ordens do Chefe e é ajudado pelos Agentes Canino, 99 (que ele não conhecia) e 34 (escondido em um armário).Ele ficou muito feliz quando descobriu que seria um agente de campo,ou melhor um agente de missões pois antes ele era apenas uma gente que trabalhava no prédio do CONTROLE. Agente 86 durou cinco temporadas,de 1965 a 1970, ganhando sete prêmios Emmy, dois para seriado cômico e três para Don Adams. Foram produzidos cento e trinta e oito episódios de vinte e quatro minutos. No Brasil, foi exibido primeiro pela TV Record e depois, em reprise, pela TV Bandeirantes, depois em 2009, lançou na Rede TV. Houve um filme para cinema em 1980, chamado The Nude Bomb (A Bomba que Desnuda) e um telefilme em 1989, na Rede ABC. No dia 20 de junho de 2008, foi lançado o filme inspirado no velho seriado, que se chama Agente 86: O Filme. Os protagonistas são Steve Carell e Anne Hathaway e houve participação dos produtores originais Buck Henry e Mel Brooks. A história mostra 86 iniciando sua carreira como agente, auxiliado pela veterana 99, em sua primeira missão: impedir que a K.A.O.S. entregue códigos de lançamento de mísseis nucleares a terroristas.

The Name of the Game ou Os Audaciosos foi uma série de televisão do gênero ação, drama e aventura, que ocupou um lugar sem igual na história da televisão, pois além de ambiciosa e de relevância histórica, tem um formado de antologia de cerca de 90 minutos muito inovador e incomum para sua época, pois a maioria ficava em torno de 30 a 60 minutos. O espetáculo influenciou por demais os valores de produção, pois tinha um orçamento invejável e por muito tempo foi considerado como uma das séries mais caras da televisão. A série também funcionou como um campo de aprendizagem para muitos escritores e diretores que depois alcançaram grande sucesso, inclusive Steve Bochco, Marvin Chomsky, Leo Pen e Steven Spielberg.
A série teve seu início num filme piloto de 1966, denominado "Fame Is the Name of the Game", para uma série semanal de filmes para a televisão produzida pelos Estúdios da Universal para a NBC. A série propriamente dita teve seu início em 1968 e reteve o fluído, a textura visual do filme piloto, somado ao tema de jazz pulsante de Dave Grusin. Tony Franciosa foi o protagonista do filme piloto e depois retornou a série interpretando Jeff Dillon, um repórter da People Magazine. O seriado fazia uma rotação dos protagonistas a cada três semanas. Uma Tony Franciosa, a outra com Gene Barry e a terceira com Robert Stack e também contou com a participação de um elenco de estrelas como Peter Falk, Robert Culp, Robert Wagner, entre outros. O espetáculo foi apresentado originalmente nos Estados Unidos, entre 20 de setembro de 1968 a 19 de março de 1971, num total de 76 episódios, de 90 minutos cada, pela rede NBC, nos Estados Unidos e no Brasil pela extinta TV Tupi.

Na próxima segunda, acompanhe "Aventura Submarina", "Anos Incríveis", "Astronautas", "Banana Splits" e "Bat Masterson".

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

URBANASCIDADES NO SONORIDADES


Estou publicando a primeira parte da edição do programa Sonoridades que participei e foi ao ar em 09.09.2015 na rádio da Universidade do Rio Grande do Sul, produzido e apresentado pelo jornalista Guto Villanova, onde conversamos sobre música, cinema e teatro.

A partir do áudio original do programa selecionei imagens na internet referentes aos temas abordados.

Paulo Bettanin.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

SONORIDADES

Como o tempo em rádio é limitado, resolvi postar o roteiro que elaborei para minha participação no programa Sonoridades do Jornalista Guto Villanova, assim como a trilha sonora completa. O programa foi gravado em uma tomada única, sem edição ou revisão, o que exige de um entrevistado inexperiente como eu muita atenção e rapidez de raciocínio, pois um jornalista experiente como o Guto sabe "quebrar" o roteiro para tornar o programa mais expontâneo e movimentado. No final foi uma ótima experiencia e oportunidade de falar de minhas paixões musicais, de cinema e teatro, e apresentar um Paulo Bettanin que muitos ainda não conheciam. Valeu Guto. 
BOA NOITE A TODOS E AGRADECENDO O CONVITE DO AMIGO E JORNALISTA GUTO VILLANOVA, CONFESSO-ME UM POUCO SURPRESO E DESAFIADO COM A OPORTUNIDADE. RESOLVI ELABORAR UM ROTEIRO CRONOLÓGICO PARA COMPARTILHAR COM VOCÊS AS VIVENCIAS DE UM JOVEM CINQUENTENÁRIO EM PORTO ALEGRE.
RECUPERAR MEMÓRIAS COM O AUXÍLIO DO GOOGLE E CRÔNICAS POR MIM ESCRITAS FOI MAIS FÁCIL QUE ELABORAR A PLAY LIST REDUZINDO TODAS AS MINHAS REFERÊNCIAS MUSICAIS, E A FORMA QUE ENCONTREI FOI SELECIONAR UM REPRESENTANTE SEGUINDO O ROTEIRO QUE INICIA COM UM DOS HITS DO ANO QUE NASCI E ENCERRA COM A CANÇÃO PARA MINHA MORTE.
1- ONLY THE LONELY – ROY ORBISON UM DOS HITS DO ANO QUE NASCI;
2- WOODSTOCK – DO ÁLBUM DEJA VU DE C,S,N & Y;
3- VOANDO ALTO - INCONSCIENTE COLETIVO
4 - BIXO DA SEDA -  JÁ BRILHOU
5 – FOREVER YOUNG – THE BAND E BOB DYLAN
6- DIAS DE LUTA - IRA
7 – NEI LISBOA – VERDES ANOS
8 - COWBOYS JUNKIES –ONE
9 – CANÇÃO PARA MINHA MORTE – OS DHARMA LOVERS

SONORIDADE FAZ PARTE DE MINHA VIDA DESDE A INFÂNCIA E NASCIDO EM 60, MARCO DIVISÓRIO ENTRE O ROCK PRIMORDIAL DE BILL HALEY, JERRY LEE LEWIS, LITTLE RICHARDS, CHUCK BERRY, ELVIS PRESLEY E A REVOLUÇÃO QUE VIRIA COM OS BEATLES, STONES, THE WHO, THE DOORS, MÚSICAS DE PROTESTO, NO BRASIL A BOSSA NOVA DE JOÃO GILBERTO, TOM JOBIM, VINÍCIUS DE MORAES, O IÊ,IÊ,IÊ E A JOVEM GUARDA, OS FESTIVAIS DE MUSICA POPULAR QUE REVELARAM, CHICO, VANDRÉ, ELIS, CAETANO, MILTON E MUITOS OUTROS, O TROPICALISMO BAIANO E, FINALIZANDO A DÉCADA COM CHAVE DE OURO EM WOODSTOCK.



CLARO QUE ESSAS PRIMEIRAS MEMÓRIAS SÃO DIFUSAS E CAPTADAS NOS RÁDIOS, NA TV E JUNTO AOS FAMILIARES JOVENS E ADULTOS.

A VERDADEIRA PERCEPÇÃO DA IMPORTÂNCIA QUE A MÚSICA TERIA EM MINHA VIDA OCORRE A PARTIR DOS 70, EM TENTATIVAS NEM SEMPRE EXITOSAS DE OUVIR OS LANÇAMENTOS NAS RÁDIOS DO RIO E SÃO PAULO NAS FÉRIAS DE VERÃO NA PRAIA DE SANTA TERESINHA, E COM A MUDANÇA NA PROGRAMAÇÃO OCORRIDA NO INÍCIO DA DÉCADA DE 70, A RÁDIO DA MAGRINHAGEM – CONTINENTAL AM 1120 QUE LANÇOU JULIO FURST – MISTER LEE, CASCALHO, CLÓVIS DIAS COSTA, BETO RONCAFERRO, E EM INÚMERAS VIAGENS DE ÔNIBUS AO CENTRO PARA REPETIR A ROTINA DE COLOCAR OS FONES, AJUSTAR A AGULHA NO PRATO E OUVIR AS NOVIDADES NAS CABINES DE MADEIRA E VIDRO DAS LOJAS DE VINIL NA GALERIA CHAVES COMO POP’SOM, KING’ DISCOS, CASA COELHO, OU A DISCOTECA E STAR DISCOS NA GALERIA MALCON, E AS LOJAS DE RUA CURTISON, YES DISCOS, WINGS DISCOS E MUITAS OUTRAS. QUANDO SOBRAVA DINHEIRO ENCOMENDÁVAMOS UNS LPS IMPORTADOS, OU APROVEITÁVAMOS VIAGENS AOS CENTROS MAIS AVANÇADOS.

LEMBRO-ME DE UMA IDA A MONTEVIDÉU EM EXCURSÃO DO COLÉGIO, ONDE ENTRE TANQUES E SOLDADOS ARMADOS DE MAIS UMA DAS MUITAS DITADURAS LATINO-AMERICANAS TROUXE ALGUMAS PÉROLAS COMO BAND ON THE RUN DO PAUL, RARIDADE QUE EXIBIA PARA OS AMIGOS NA VOLTA, ALÉM DE UMA IDA A MANAUS E SUA ZONA FRANCA E UMAS FÉRIAS NO RIO DE JANEIRO, QUE ENRIQUECERAM MINHA DISCOGRAFIA.

FOI MISTER LEE QUE JUNTAMENTE COM OS FESTIVAIS MUSIPUC CRIARAM O PRIMEIRO MOVIMENTO COLETIVO DE MPG E QUE LANÇOU NOS “VIVENDO A VIDA COM LEE” REALIZADOS NO CINE TEATRO PRESIDENTE E ARAUJO VIANNA, E EM CARAVANAS SULISTAS QUE CHEGARAM AO PARANÁ EM SHOWS COLETIVOS E INDIVIDUAIS QUE DURAVAM UMA ETERNIDADE E REPRODUZIAM COM AS DEVIDAS RESERVAS O ESPÍRITO DE WOODSTOCK.  OS FESTIVAIS LANÇARAM GRUPOS COMO ALMÔNDEGAS, INCONSCIENTE COLETIVO (COM JOAO ANTONIO), BYZARRO, HALLAI-HALLAI, ZÉ FLAVIO E O MANTRA, UTOPIA (BEBETO ALVES), HERMES AQUINO, GILBERTO TRAVI E CÁLCULO IV.
A GAÚCHA TENTOU APROVEITAR O SUCESSO LANÇANDO A GAÚCHA-ZERO HORA FM, CIDADE FM E ATLÂNTIDA E COM MAIS SUCESSO O PROGRAMA TRANSASOM QUE COMEÇOU NA RADIO GAUCHA EM 73 E CONSAGROU PEDRINHO SIROTSKI ENTRE 74 E 79 NA TV GAÚCHA.

A DÉCADA DE 80 FOI DOMINADA PELA BANDEIRANTES FM QUE INICIOU NA JOSÉ BONIFACIO ONDE NÍLTON FERNANDO, MAURO BORBA, KATIA SUMAN, MARY MESARI, E MÚSICOS QUE SE TRANSFORMARAM EM LOCUTORES AO LONGO DA EXISTÊNCIA DA IPANEMA, RECENTEMENTE RELEGADA AO MUNDO VIRTUAL DA INTERNET. OS PRIMEIROS SUCESSOS DE NEI LISBOA, NELSON COELHO DE CASTRO, ENGENHEIROS, TARANATIRIÇA, GAROTOS DA RUA, JULIO RENY, TNT, REPLICANTES…

CINEMA E MUSICA SEMPRE ESTIVERAM JUNTOS EM TRILHAS E FILMES SOBRE MÚSICOS E BANDAS. UMA INESQUECÍVEL LEMBRANÇA FOI TER ASSISTIDO A PRÉ-ESTRÉIA , EM UM FINAL DE NOITE DE 1976 OU 77 NO ESCURO E APERTADO BRISTOL, LOCALIZADO EM CIMA DO CINE BALTIMORE NA OSVALDO MALDITA, DE UM DOCUMENTÁRIO DIRIGIDO POR MARTIN SCORSESE DE UM CONCERTO REALIZADO EM SÃO FRANCISCO PARA REGISTRAR O FINAL DA “THE BAND” GRUPO CANADENSE QUE ACOMPANHAVA BOB DYLAN E QUE CONTOU COM A PRESENÇA DE  PAUL BUTTERFIELD, ERIC CLAPTON, NEIL DIAMOND, BOB DYLAN, RONNIE HAWKINS, DR. JOHN, JONI MITCHELL, VAN MORRISON, RINGO STARR, MUDDY WATERS, RONNIE WOOD E NEIL YOUNG.
FILMES MUSICAIS COMO JOHNNY E JUNE (JOHNNY CASH), ACROSS THE UNIVERSE (BEATLES), TRUE HISTORIES (TALKING HEADS) O GAROTO DE LIVERPOOL, THE WALL E MUITOS OUTROS AUTORAIS E FICCIONAIS  COMPROVAM ESSA TENDÊNCIA DO  CINEMA MUNDIAL.

AS DÉCADAS DE 70 E 80 TROUXERAM PARA PORTO ALEGRE ALGUNS ESPETÁCULOS COMO RICK “YES” WAKEMAN E A SUA VIAGEM AO CENTRO DA TERRA COM UM SOM E PIROTECNIA NUNCA VISTOS EM NOSSA TERRA, OU O GENESIS DO PHIL COLLINS SUBSTITUINDO PETER GABRIEL EM 77 E QUE TEVE A DURAÇÃO DO 2º DIA REDUZIDA EM UMA HORA EM FUNÇÃO DE UM CHOCOLATE QUENTE COM VODKA CONSUMIDO PELO BAIXISTA EM GRAMADO, SEGUNDO PEDRINHO SIROTSKI, A APRESENTAÇÃO COLETIVA DO BIXO DA SEDA, O TERÇO E MUTANTES NO GIGANTINHO EM 75. ASSISTI TAMBÉM ELIS EMOCIONADA CHORANDO, BRINCANDO, BISANDO MARIA MARIA NO QUE SERIA SEU ÚLTIMO SHOW AO VIVO NO GIGANTINHO EM UMA NOITE DE CHUVA DE SETEMBRO DE 81. ASSISTI TAMBÉM EM 80 O HISTÓRICO SHOW DO MPB-4 COM PARTICIPAÇÃO DOS INICIANTES KLEITON E KLEDIR, EM UMA INDEPENDÊNCIA TOMADA DE POLICIAIS E AO ENTRAR NO TEATRO LEOPOLDINA SENTIR NO AR A TENSÃO DOS ESTERTORES DE UMA DITADURA E CANTAR A PLENOS PULMÕES CÁLICE E OUTRAS MÚSICAS DE PROTESTO À SITUAÇÃO VIGENTE.

EM 1977 NO CURSINHO PRÉ-VESTIBULAR NO MAUÁ DA PRAÇA DOM FELICIANO RECEBI A INDICAÇÃO PARA ASSISTIR A PEÇA TRATE-ME LEÃO DE UM GRUPO CARIOCA CHAMADO ASDRUBAL TROUXE O TROMBONE COMPOSTO PELOS JOVENS REGINA CASÉ, LUIZ FERNANDO GUIMARÃES, PATRÍCIA TRAVASSOS, EVANDRO MESQUITA, PREFEITO FORTUNA, NINA DE PÁDUA E FÁBIO JUNQUEIRA, QUE ME TORNOU UM APAIXONADO PELO TEATRO E INFLUENCIOU VÁRIOS GRUPOS GAÚCHOS COMO “VENDEM-SE SONHOS” DA MÁRCIA DO CANTO,  “BALAIO DE GATOS” DA LUCIENE ADAMI, TAMBÉM VOCALISTA DA BANDA URUBU REI E “DO JEITO QUE DÁ” DO JÚLIO CONTE DO QUAL ASSISTI A PRIMEIRA VERSÃO DO BAILEI NA CURVA NO TEATRO  SÃO PEDRO.

MINHA EXPERIÊNCIA WOODSTOCK OCORREU NO FINAL DE UM JANEIRO DE 77, QUANDO DOIS JOVENS DE 17 ANOS SAÍRAM DO LITORAL GAUCHO E RUMARAM À SANTA CATARINA COM MOCHILAS NA COSTA E OS DEDOS COMO COMBUSTÍVEL. NOSSO DESTINO ERA CAMBORIU ONDE OCORRERIA UM FESTIVAL DE MÚSICA COM BANDAS COMO O TERÇO, MUTANTES, CASA DAS MÁQUINAS, BIXO DA SEDA, A CHAVE, MADE IN BRASIL, RITAL LEEE E TUTY FRUTTI, SOM NOSSO DE CADA DIA, ENTRE OUTRAS. DESCENDO A ESTRADA DE CHÃO BATIDO ENCONTRAMOS UMA ÁREA CERCADA COM O PALCO DE UM LADO E O MAR DE OUTRO, ADQUIRIMOS OS PASSAPORTES (700 MIL CRUZEIROS), CARIMBADOS EM NOSSOS BRAÇOS E EM UM MAR DE BARRACAS MULTICOLORIDAS NOS INSTALAMOS COM NOSSAS MOCHILAS. OS HARE KRISHNA ATÉ SEREM EXPULSOS FIZERAM UM ESPETÁCULO A PARTE COM SEUS CÂNTICOS E INSTRUMENTOS E OS “TRENZINHOS” QUE FORMAVAM COM OS ROQUEIROS E QUE CIRCULAVAM POR TODOS OS ESPAÇOS. A INFRAESTRUTURA ERA PRECÁRIA, HAVIA PANES NA LUZ E SOM, MUITAS VAIAS E APLAUSOS, O CÉU ESTRELADO COMO CENÁRIO AO LONGO DAS MADRUGADAS DE MÚSICA, ALGUMAS BANDAS DECEPCIONARAM OUTRAS NÃO COMPARECERAM, A POLÍCIA FEDERAL AMEAÇANDO SUSPENDER O FESTIVAL EM FUNÇÃO DOS PALAVRÕES PROFERIDOS PELOS MUSICOS, SIMBAS VOCALISTA DA CASA DE MÁQUINAS PELADO, FUGUETE LUZ E BANDA EM CIMA DE TAPETES DE FUCA PARA ESCAPAR DOS CHOQUES DO TEMPORAL QUE CAIA QUANDO SE APRESENTAVAM, E MUITAS OUTRAS QUE SE PERDERAM EM MINHA JÁ DESGASTADA MEMÓRIA FIZERAM PARTE DA MAIOR AVENTURA DE MINHA ADOLESCENTE VIDA.
ENTRE 83 E 84 A TVE GAUCHA RETRANSMITIA O PROGRAMA FABRICA DO SOM PRODUZIDO PELA TV CULTURA DE SÃO PAULO GRAVADO NO TEATRO SESC POMPÉIA E APRESENTADO PELO TADEU JUNGLE REUNIU BANDAS EM COMEÇO DE CARREIRA COMO IRA, TITÃS. BARÃO VERMELHO, PARALAMAS, A TURMA DA VANGUARDA PAULISTA (ITAMAR ASSUMPÇÃO, TETÊ ESPÍNDOLA, ARRIGO BARNABÉ, RUMO, PREME, LÍNGUA DE TRAPO) E A PARTIR DE 1986 NA BANDEIRANTES O PERDIDOS NA NOITE DO FAUSTO SILVA COM OS COMEDIANTES ESCOVA E TATÁ.
OUTRO EVENTO MUSICAL QUE REPETIA-SE TODOS FINAIS DE TARDE DO DOMINGO DURANTE A DÉCADA DE 90 FORAM OS ESPETÁCULOS REALIZADOS AO AR LIVRE NO SHOPPING DC NAVEGANTES ONDE PODIAMOS ASSISTIR SHOWS DO NEI LISBOA, BANDA DOS CORAÇÕES SOLITÁRIOS, THE TRAVELERS, HARD WORKING BAND E MUITAS OUTRAS BANDAS, E DURANTE ALGUM TEMPO NA PRAÇA INTERNA DO SHOPPING PRAIA DE BELAS.






sexta-feira, 27 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Av. Farrapos


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar um trecho do início da Av. Farrapos, junto ao Túnel da Conceição.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando a "Coração Porto-Alegrense, música de Sérgio Napp na interpretação de Victor Hugo.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Rua dos Andradas x Dr. Flores


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar a esquina da Rua dos Andradas com a Av. Dr. Flores, onde localizava-se antiga agência da extinta Caixa Econômica Estadual.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando a eterna Elis Regina e a música "Porto dos Casais".

segunda-feira, 23 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Shopping Tottal


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar o conjunto de prédios que originalmente pertenceu à Cervejaria Bopp Irmãos (inaugurada em 1991), depois à Cervejaria Continental, e desta passou para a Cervejaria Brahma. Hoje está integrado ao Shopping Total.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando o clássico dos irmãos Ramil, "Deu pra ti"..

sexta-feira, 20 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Brasiliano de Morais


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar o o cruzamento das Avenidas Assis Brasil e Brasiliano Índio de Morais. Pode se observar na imagem antiga a sinaleira no cruzamento.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando Hermes Aquino "Nuvem passageira" e a música Porto Alegre, Porto Alegre.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Centro de Saúde Modelo


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar o Centro de Saúde Modelo, inaugurado em 09 de janeiro de 1942. A diferença entre o sítio original onde se localizava o posto e a situação atual demonstra a rápida evolução dos espaços em nossa cidade em poucas décadas.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando o "Porto City", com o músico Cigano.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Borges de Medeiros


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar trecho da avenida Borges de Medeiros, junto a Praça XV. A esquerda a antiga Lojas Guaspari, com transito de bondes e veículos e à direita o Edifício União e o calçadão da Praça.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando um um passeio pelas ruas de Porto Alegre, na voz e poesia de Vítor Ramil.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Praça Piratini



Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar o cruzamento entre as avenidas João Pessoa e da Azenha, onde localiza-se o monumento a Bento Gonçalves, obra de Antonio Caringi (sim, o mesmo do Laçador). Inaugurada em 1936 no Parque Farroupilha foi transferida em 1941 para a praça Piratini, onde encontra-se atualmente.
Como sobremesa vamos postar algumas músicas referenciais de Porto Alegre, hoje apresentando um clássico da música urbana da nossa cidade, Horizontes, na voz de Elaine Geissler.

quarta-feira, 11 de março de 2015

nas ruas de Porto Alegre - Av. Padre Cacique


Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar o trecho da av. Padre Cacique onde localiza-se o Asilo Padre Cacique fundado em 19 de Junho de 1898 pelo Padre baiano Joaquim Cacique de Barros.
Comparando as duas imagens podemos avaliar o volume de aterro utilizado para nivelar o leito da Av. Padre Cacique e as modificações viárias implementadas.

Como sobremesa continuamos publicando algumas músicas referenciais, hoje homenageando a noite de Porto Alegre, na poesia pop do Humberto, dos Engenheiros.
  /div>

segunda-feira, 9 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre -Independência 2



Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar um outro angulo da nossa primeira postagem sobre o tema. Podemos observar um muro frontal no prédio da Beneficência Portuguesa e à esquerda ainda não havia a Praça Dom Sebastião, fruto da permuta com a Santa Casa e desapropriação de terrenos de Antonio Jaquim da Silva Mariante e de Manoel Joaquim da Silva, em 1848. 

Como sobremesa iniciamos publicando alguns poemas sobre a nossa cidade e agora vamos postar algumas músicas referenciais, iniciando com a do nosso professor/prefeito/autor José Fogaça, em uma interpretação de Isabela Fogaça.



sexta-feira, 6 de março de 2015

Nas ruas de Porto Alegre - Rua Otávio Rocha


Porto Alegre, Roteiro da Paixão
Luiz de Miranda

Seria mais cidade
com Dyonélio Machado
Heitor Saldanha
em sua plumagem
de puro canto
como o território livre
onde passeiam as palavras
resgatando o esquecimento
Seria mais cidade
quando as horas
do verão levam o suor
os abismos da pele
a loucura do Baixo Bom Fim
que mói entre relâmpagos
e tempestades
os jogo do amor
incendiando-se na alma

Prosseguindo a série de postagens intitulada "Das ruas de Porto Alegre" que despretensiosamente procura resgatar algumas das memórias dos antigos e jovens cidadãos de Porto Alegre, utilizando recursos de busca disponíveis na internet para garimpar esses "retratos" do túnel do tempo das nossas vidas, hoje vamos revisitar mais um trecho do centro, uma vista da rua Otávio Rocha, antigo "Beco do Rosário". Pode-se observar na imagem antiga o prédio da Renner que incendiou e foi implodido em 1976 e a edificação que foi erguida no lugar onde ainda hoje situa-se a loja. Do outro lado da rua, onde atualmente se localiza a Lojas Manlec, e que anteriormente era ocupada pela Mesbla, originalmente  foi projetado em 1933 pelos arquitetos Saul Macchiavello e Antonio Rubio o Edifício Comendador Chaves. Em 1935 a Sociedade Amante Carraro e Irmãos comprou o local e acabou criando o Hotel Carraro, sendo este um dos locais mais luxuosos para ficar hospedado na capital.

Fonte: blog Arquivopoa - a memória de Porto Alegre